CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Mercado financeiro mostra receio e reduz mais uma vez projeção de crescimento da economia brasileira

Reprodução

A estimativa do PIB para os próximos três anos se manteve em 2,5%, mostra levantamento do BC

O mercado financeiro brasileiro continua receoso com a capacidade do novo governo reverter a estagnação da economia brasileira conforme demonstrado nesta segunda-feira(06) pelo Boletim Focus do Banco Central. De acordo com o levantamento, as instituições financeiras consultadas semanalmente pelo BC reduziram pela 10º vez consecutiva a projeção do crescimento econômico de 1,70% para 1,49% para este ano. Para os próximo três anos, a estimativa do PIB (Produto Interno Bruto) se manteve em 2,50%.

Inflação

Já a estimativa de inflação – calculada pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) – aumentou de 4,01% para 4,04% para o ano. Em 2020, a previsão segue em 4% e 3,75% para 2021 e 2022.

A meta de inflação deste ano é de 4,25% com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. A estimativa para 2020 esta fixada no centro da meta que é de 4% com intervalo de 1,5% para cima ou para baixo. Para 2021, o centro da meta é de 3,75%.

Selic

As instituições financeiras prevem que a taxa Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, deverá permanecer em 6,5% até o fim de 2019. O Copom (Comitê de Política Monetária) vai ser reunir na próxima quarta-feira (8) para fazer nova definição sobre a taxa.

De qualquer forma, o mercado aposta que para o fim de 2020 a Selic deve seguir em 7,50% e a expectativa para o fim de 2020 e 2021 que permaneça em 8% ao ano.

Dólar

Ainda segundo estimativas do mercado financeiro, a cotação dólar seguirá em R$ 3,75% no fim de 2019 e ajustada de R$ 3,79 para R$ 3,80 para o fim de 2020. (Com informações de agência de notícias)

Deixe uma resposta