PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Compromissada com as reformas e a recuperação da economia, bancada do PPS toma posse na Câmara dos Deputados

Robson Gonçalves

Posse na Câmara dos Deputados aconteceu nesta sexta-feira

Os oito deputados federais do PPS tomaram posse nesta sexta-feira (veja aqui os perfis) e iniciam o mandato de quatro anos compromissados com a realização das reformas estruturais que o país precisa e com a recuperação da economia. A bancada terá uma atuação política independente e não vai se alinhar nem a base do governo e nem a grupos que façam oposição do “quanto pior melhor”. Para os parlamentares, a polarização radical que aconteceu nas últimas eleições não ajuda o país.

O combate à corrupção e a fiscalização do governo continuam também como ponto forte da atuação dos parlamentares do partido, que ainda tem forte atuação na área social, saúde, educação, meio ambiente e segurança pública.

Veja abaixo algumas das metas e prioridades dos deputados do PPS.

Alex Manente (SP)

Assumindo o segundo mandato como deputado federal, Alex Manente (PPS-SP), afirmou nesta sexta-feira que a pauta econômica deve marcar os trabalhos do Congresso Nacional em 2019. Para ele, é urgente a aprovação de reformas como a da Previdência e Tributária para que o país retome o desenvolvimento, a geração de emprego e a população “volte a ter dinheiro no bolso e recupere sua capacidade de consumir”.

“As prioridades máximas no Congresso Nacional a partir da posse dos novos parlamentares serão as reformas e projetos voltados para a recuperação da economia. Nesse ponto, acredito que governo, parlamentares e sociedade estão de acordo. Outra pauta que caminhará paralelamente é a do combate a corrupção, com vários projetos importantes aguardando votação, como é o caso da PEC da prisão em segunda instância e o projeto do fim do foro privilegiado”, afirmou Manente, que é autor da emenda constitucional que insere na Constituição a possibilidade de prisão após a condenação em segunda instância.

Arnaldo Jardim (SP)

O deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP) disse, nesta sexta-feira, após tomar posse na Câmara, que a primeira grande questão que a nova legislatura que começa hoje vai enfrentar é o desafio de quebrar o clima de polarização que saiu das urnas. “O Brasil está polarizado, dividido e radicalizado. Eu não quero abolir nenhuma das opiniões nem escamotear as divergências políticas e ideológicas, mas acima disso deve existir a disposição de constituir maiorias sólidas que possam ter estabilidade, o que permite planejamento, segurança e a volta do investimento”, apontou o parlamentar.

Além de participar dos debates gerais, Jardim pretende se dedicar às questões relativas ao agronegócio, apresentando propostas para melhorar as políticas de seguros e de financiamento, para fortalecer a defesa animal e vegetal, “para podermos ter uma logística que possibilite que o setor agropecuário continue tendo um protagonismo na economia”, conforme explicou o deputado.

Carmen Zanotto (SC)

Eleita para o segundo mandato consecutivo, a deputada Carmen Zanotto (PPS-SC) disse que a nova Câmara terá o desafio de atender à expectativa da sociedade. Para isso é necessário que os parlamentares de todos os partidos construam uma pauta nacional que atenda às demandas da população, principalmente nas áreas de saúde, educação e segurança.

“O novo Parlamento não pode frustrar as expectativas dos brasileiros. Esta Casa precisa trabalhar unida pela aprovação de propostas que resultem no desenvolvimento econômico. Assim, o País poderá crescer para gerar emprego, renda e melhorar vida dos brasileiros, que clamam por melhor atendimento na saúde, na educação”, afirmou.

Da Vitória (ES)

O deputado federal Da Vitória (PPS-ES) vai trabalhar para ampliar os investimentos no Espírito Santo. O parlamentar quer atuar para ser o elo entre o governo do estado e o governo federal, em Brasília.

Para o parlamentar, o mandato estará voltado para a implementação das ações estabelecidas no Fundo Nacional de Segurança Pública e na melhoria da infraestrutura de portos, aeroportos e rodovias, com foco no potencial de exportação. “O Espírito Santo possui investimentos tímidos na comparação com os outros estados do Sudeste. Temos diversos atrativos que podem ser explorados. O momento é de muita motivação para atuar na defesa dos interesses da população e no desenvolvimento do nosso estado”, declarou Da Vitória.

Daniel Coelho (PE)

“Não podemos jogar no time daqueles que apostam no quanto pior melhor, mas também não seremos submissos ao governo”, afirmou o deputado federal Daniel Coelho (PPS-PE) que foi reeleito para o segundo mandato na Câmara dos Deputados. Para o parlamentar, na atual conjuntura, o posicionamento político da bancada do partido será de independência.

“Vamos ajudar no que for preciso, mas não deixaremos de nos opor e fazer críticas a propostas do governo que acharmos equivocadas. Nosso posicionamento político será de independência e vamos debater tudo caso a caso”, adiantou Coelho. Para o parlamentar, a prioridade para o país neste momento é a recuperação da economia e a geração de emprego. “Renovo o compromisso com o Brasil, com nosso povo, com Pernambuco. Atuaremos com responsabilidade, combatendo o populismo, buscando a recuperação econômica e combatendo as desigualdades que trazem sofrimento a nossa nação”, disse.

Marcelo Calero (RJ)

O deputado federal Marcelo Calero (PPS-RJ) disse que o momento em que vive o país exige muita responsabilidade da parte dos parlamentares que assumem o mandato nesta nova legislatura. “Essa legislatura está se iniciando depois de uma eleição muito polarizada, de extremos. Isso vai exigir de nós parlamentares grande responsabilidade para unir este país”, defendeu.

De acordo com ele, os partidos que não se alinharam às candidaturas do PT e do PSL poderão ter um papel importante na busca do diálogo que resulte em conciliação nacional. Marcelo Calero acredita que o PPS, com a sua história, deve exercer esse protagonismo. “A nossa legenda pode exercer esse papel neste momento. O centro serve precisamente para amortecer extremos, para trazer uma palavra de conciliação e equilíbrio. É necessário ouvir os dois lados para que se possa construir alternativas para o país”, disse.

Paula Belmonte (DF)

Animada para começar o mandato, a deputada Paula Belmonte (PPS-DF) defendeu, nesta sexta-feira (01), após tomar posse, as reformas necessárias ao desenvolvimento do Brasil. Ela acredita que os novos deputados estão chegando com um propósito de promover o bem comum. “Espero que o Congresso se una para fazer as transformações, como a reforma da previdência, que se refere a todos os brasileiros, e a reforma tributária”, afirmou. A deputada quer a Câmara comprometida com o desenvolvimento econômico e social do país.

Paula Belmonte disse ainda que terá um gabinete aberto à população e convidou os eleitores a acompanhar o trabalho dos deputados. “Nós estamos aqui representando a população. É como se fosse uma procuração dada para nós”. A parlamentar afirmou que quer receber sugestões dos moradores do Distrito Federal durante todo o seu mandato. “Traga para eu fazer o papel que me cabe, que é ajudar as pessoas a ter uma vida mais digna”, convidou.

Rubens Bueno (PR)

Em seu quinto mandato de deputado federal, Rubens Bueno (PPS-PR) afirmou nesta sexta-feira (01), após tomar posse na Câmara dos Deputados, que suas principais metas na nova legislatura são retomar o debate das reformas necessárias para o país, ajudando na aprovação das medidas, e continuar seu trabalho de combate aos privilégios. Entre as reformas necessárias estão a da previdência e a tributária.

“Há um clima muito favorável para as reformas. O equilíbrio fiscal precisa ser alcançado rapidamente para que nossa economia se recupere e o país possa retomar investimento e voltar a gerar emprego e renda. O Brasil não pode esperar mais”, avaliou Rubens Bueno, que acredita que o novo governo e o Congresso terão condições de fazer avançar as medidas.

Deixe uma resposta