PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Oito deputados federais e três senadores do PPS tomam posse nesta sexta-feira

Reprodução

Oito deputados federais e três senadores do PPS tomam posse nesta sexta-feira (1º). Na Câmara dos Deputados a cerimônia tem início às 10 horas e no Senado Federal ocorre às 15 horas.

Na pauta dos parlamentares eleitos pelo PPS se destacam o combate à corrupção, a recuperação da economia e a melhoria da segurança pública, da saúde e da educação. As reformas, entre elas a da previdência e a tributária, também são consideradas prioridades.

Veja abaixo um breve perfil de deputados e senadores que tomarão posse.

CÂMARA DOS DEPUTADOS

Alex Manente (SP)
O parlamentar, com base parlamentar em São Bernardo do Campo (SP), foi reeleito para seu segundo mandato de deputado federal. Formado em Direito, Alex Manente foi eleito vereador de São Bernardo do Campo (SP) em 2003 aos 25 anos. Elegeu-se deputado estadual em 2006 e foi reeleito em 2010. Na Assembleia Legislativa, criou a Frente Parlamentar da Represa Billings e acelerou as discussões sobre a lei específica do manancial, aprovada em 2009. Presidiu a Comissão de Defesa e Direito do Consumidor e atuou para aumentar os investimentos dos municípios na área da saúde. Foi eleito deputado federal em 2014 e em 2018 começou a atuar como líder da bancada do PPS. Na Câmara Federal também presidiu a Comissão de Turismo e é autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que insere no texto constitucional a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

Arnaldo Jardim (SP)
Arnaldo Jardim nasceu em Altinópolis (SP). É engenheiro civil pela Escola Politécnica da USP e iniciou sua vida política como líder estudantil, quando foi diretor do DCE da USP e da União Estadual dos Estudantes, na época das lutas pela democracia. Exerceu quatro mandatos como deputado estadual e foi secretário estadual da Habitação entre 1992-1993. Foi autor da Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo e da Política Estadual de Resíduos Sólidos. Agora ele assume seu quarto mandato de deputado federal. Na Câmara foi relator da Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Também foi reconhecido, por cinco vezes consecutivas, nas publicações “100 Cabeças do Congresso Nacional” elaboradas pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), e por votações realizadas pelo Portal Congresso em Foco, como um dos melhores parlamentares da Câmara Federal. Entre 2015 e 2018 se licenciou do mandato para assumir o cargo de secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Carmen Zanotto (SC)
Com atuação destacada em defesa da saúde pública, a deputada federal Carmen Zanotto assume seu terceiro mandato na Câmara. Nascida em Lages (SC), é graduada em Enfermagem e Obstetrícia, com especializações em Administração Hospitalar e Saúde Pública. Exerceu vários cargos públicos, entre eles a de secretária estadual de Saúde de Santa Catarina. Na Câmara dos Deputados, é coordenadora da Frente Parlamentar de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer e é autora da lei que determina o SUS a oferecer no prazo máximo de 60 dias tratamento aos pacientes diagnosticados com câncer e da que obriga o registro compulsório dos casos de câncer em todo o território nacional. Por duas vezes consecutivas, a deputada catarinense foi premiada pelo site Congresso em Foco como uma das dez parlamentares mais atuantes do Congresso. Também foi apontada pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) na lista dos parlamentares mais influentes do Congresso Nacional em 2018.

Da Vitória (ES)
Após três mandatos como deputado estadual, Josias Mário da Vitória foi eleito em 2018 para seu primeiro mandato de deputado federal. Formado em Direito, integrou a Polícia Militar do Estado como soldado e cabo. Atualmente, está no quadro reserva da corporação. Na Assembleia Legislativa do Espírito Santo, foi líder da bancada do PPS e presidiu a Comissão Especial do Pacto Federativo, a Comissão Especial da Previdência Social e a Frente Parlamentar Estadual Pró-Rio Doce. Nasceu em Colatina (ES). Na Câmara Federal, pretende manter contato direto com a sociedade para aprovar matérias que respondam aos anseios de mudança da população. Uma de suas preocupações é a melhoria da segurança pública e a aprovação de alterações na legislação que fortaleçam o combate ao crime.

Daniel Coelho (PE)
Reeleito para o segundo mandato de deputado federal, Daniel Pires Coelho nasceu em Recife (PE). Foi eleito vereador de Recife por dois mandatos consecutivos, em 2004 e 2008. Elegeu-se deputado estadual de Pernambuco, em 2010, e nas eleições de 2014 foi o sexto deputado federal mais bem votado no estado. Em abril de 2018, decidiu se filiar ao PPS. “Escolhi o PPS pelo processo de transformação por que passa o partido”, disse na ocasião. Daniel Coelho é formado em Administração pela UPE (Universidade de Pernambuco) e tem mestrado, na mesma área, na Universidade de Bournemouth, na Inglaterra. Em 2018, integrou a lista de 50 parlamentares federais em ascensão elaborada pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar). Na Câmara dos Deputados, atuou contra a aprovação do projeto de criação de novos municípios, votou contra a abertura de mais cargos de livre nomeação na estrutura do governo federal e trabalhou pela derrubada do veto presidencial que retirou o reajuste aprovado para agentes comunitários de saúde.

Marcelo Calero (RJ)
Advogado e diplomata, o carioca Marcelo Calero foi eleito para seu primeiro mandato como deputado federal. Filiado ao PPS desde março de 2018, foi ministro da Cultura do governo de Michel Temer e pediu demissão do cargo após denunciar pressões do então ministro Geddel Vieira Lima para que sua pasta facilitasse a liberação de um empreendimento imobiliário em área protegida pelo patrimônio histórico em Salvador. O caso acabou levando a queda de Geddel, que posteriormente acabou sendo preso depois de a Polícia Federal descobrir mais de R$ 51 milhões em um apartamento usado por sua família. Calero começou a vida em cargos públicos na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Passou também pela Petrobras, em 2006, chegou à diplomacia em 2007 e trabalhou na embaixada brasileira no México. Foi também secretário municipal de Cultura da cidade do Rio de Janeiro entre 2015 e 2016.

Paula Belmonte (DF)
Formada em Administração e nascida em São Paulo (SP), Paula Belmonte chegou no Distrito Federal na década de 1970. Estudou em escola pública na capital federal e sua paixão pelo empreendedorismo emergiu aos 10 anos de idade, quando começou a vender docinhos na escola. Em 2018, primeira vez que disputou uma eleição, se elegeu deputada federal. É mãe de seis filhos e tem como uma de suas principais metas para o mandato a aprovação de propostas para a melhoria da Educação no país e a defesa de crianças e adolescentes. É contra a redução da maioridade penal e favorável a uma reforma tributária e previdenciária. Também pretende fazer uma gestão investigativa para atuar na fiscalização da aplicação do dinheiro público.

Rubens Bueno (PR)
Reeleito para o sexto mandato, Rubens Bueno Bueno nasceu em Sertanópolis (PR) e é professor. Considerado seis vezes seguidas pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) um dos 100 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional, teve atuação de destaque em CPIs como a da Petrobrás e do Cachoeira, que desvendaram esquemas de corrupção e desperdício do dinheiro público. Foi secretário de Justiça, Trabalho e Ação Social do Paraná (1987-90), duas vezes deputado estadual (1983-87 e 1987-91) e prefeito de Campo Mourão (1993-96). Também foi diretor administrativo da Itaipu Binacional. Liderou a bancada do PPS na Câmara dos Deputados entre 2011 e 2016 e foi um dos articuladores do movimento no Congresso Nacional que levou ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Também é autor de proposta que acaba com o foro privilegiado e de diversas leis, como a do farol aceso nas rodovias.

SENADO FEDERAL

Alessandro Vieira (SE)
O combate à corrupção é a principal bandeira de Alessandro Vieira, eleito pelo estado de Sergipe e que, em dezembro, filou-se ao PPS. Delegado da Polícia Civil, ele já coordenou as áreas de perícia, estatísticas criminais, crimes cibernéticos e homicídios, chegando ao cargo de delegado-geral da Polícia Civil em Sergipe. Alessandro Vieira faz parte do Movimento Acredito e do RenovaBR, duas iniciativas que buscam a renovação na política. Para defender essa renovação, ele disse que apoiará as medidas propostas pela Transparência Internacional, movimento mundial de combate à corrupção. Defenderá o fim da reeleição para cargos majoritários, como presidente e governador, e o voto distrital misto, que busca aproximar eleitores dos seus representantes.

Eliziane Gama (MA)
Jornalista e deputada federal mais bem votada no Maranhão em 2014, Eliziane Gama foi eleita senadora em 2018. Na Câmara dos Deputados teve um mandato direcionado, principalmente, às questões sociais. Também teve uma participação destacada ao fiscalizar o Executivo Federal e denunciar casos de corrupção. Foi integrante da CPI da Petrobras e coordenadora da Comissão Externa que investigou o cancelamento da construção das Refinarias Premium I e II, no Maranhão e Ceará. Natural de Monção (MA), também exerceu dois mandatos de deputada estadual (2007-14) no Maranhão, com atuação marcante na defesa dos Direitos Humanos. Em 2016, disputou a prefeitura de São Luís pelo PPS.

Marcos do Val (ES)
Militar da reserva do Exército, Marcos do Val é instrutor da SWAT e instrutor-chefe e fundador do CATI (Treinamento Policial), instituição de treinamento policial com atuação internacional. Natural de Vitória (ES), em sua primeira disputa eleitoral foi eleito senador. Morando nos EUA durante anos, passou a se especializar em resgate de reféns, abordagens táticas, planejamento operacional e é criador de técnicas hoje difundidas em várias unidades policiais do mundo. Eleito senador, defende maior investimento na segurança pública diante dos altos níveis de violência no país. Contudo, afirma que segurança pública não se faz apenas com repressão policial e destaca ser essencial a destinação de mais recursos para a área social e para a geração de emprego e renda.

Deixe uma resposta