CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Roberto Freire: Ministra Damares Alves “mantém acesa a chama do fundamentalismo religioso”

Reprodução

O fundamentalismo religioso é uma das ideias- força do bolsonarismo, diz presidente do PPS

O presidente do PPS, Roberto Freire, disse em sua conta no microblog Twitter que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, “mantém acesa a chama do fundamentalismo religioso” ao comentar um vídeo de 2014 em que ela diz acreditar em plano do movimento LGBT no Brasil para tirar a Bíblia de circulação pela menção de termos como sodomitas e efeminados. Diante da manifestação, Freire diz que será preciso enfrenta-la e combate-la “em nome dos direitos humanos para todos, da liberdade e da República laica”.

“Essa ministra Pastora mantém acesa a chama do fundamentalismo religioso, que é uma das ideias-força do bolsonarismo. Embora pareça ser essa a sua função – polemizar -, devemos enfrentar e combater tais posições em nome dos direitos humanos para todos, da liberdade e da República laica”, escreveu o presidente do PPS na rede social.

Em um vídeo de quase 20 minutos (veja aqui), a ministra da Família argumenta que o plano do movimento LGBT é aprovar um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados que prevê a retirada de circulação de todo e qualquer livro que contenha ideias e termos homofóbicos.

“Eu não estou exagerando! O movimento gay é articulado e sabe influenciar”, disse Damares.

Homofobia e transfobia

Em dezembro de 2013, o PPS ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO 26) no STF (Supremo Tribunal Federal) solicitando a equiparação da homofobia e transfobia ao crime de racismo.

O partido quer que assassinatos, atos de violência ou discriminatórios por homofobia e transfobia no País sejam combatidos com o mesmo rigor previsto na Lei 7716/89, a Lei do Racismo.

A ação, que deve ser julgada pelo Supremo em fevereiro (veja aqui) foi motivada após a omissão do Congresso Nacional em editar legislação sobre o tema. O PPS pede a criminalização específica de todas as formas de homofobia e transfobia, especialmente as ofensas individuais e coletivas, homicídios, agressões e discriminações motivadas pela orientação sexual e identidade de gênero da vítima.

VEJA TAMBÉM

Dina Lida Kinoshita: Carta aberta à ministra Damares Alves

Deixe uma resposta