PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Revista Política Democrática online alcança cerca de 225 mil acessos em duas edições

Reprodução

Audiência saltou 457,38% de outubro, mês de lançamento da versão exclusivamente digital, a novembro

Por Cleomar Almeida

Às vésperas de lançar sua edição de dezembro, a revista Política Democrática online, mantida pela Fundação Astrojildo Pereira (FAP), alcançou nas suas duas primeiras edições 224.999 acessos do público em geral. Ou seja, audiência cresceu 457,38% em dois meses. Segundo a FAP, no mês de outubro, a Política Democrática online obteve 34.224 acessos pela internet. Em novembro, de acordo com o levantamento, a audiência da revista saltou para 190.757 acessos, principalmente a partir de grandes reportagens sobre temas de interesse público, entrevistas relevantes e análises críticas referentes aos cenários políticos brasileiro e internacional. A próxima edição, que será lançada ainda nesta semana, publicará uma entrevista exclusiva com o embaixador Rubens Ricupero e a primeira parte de uma reportagem (com um minidocumentário) sobre a hidrelétrica de Belo Monte, relatando a situação dos índios na região da Volta Grande do Xingu, além de um artigo de Marina Silva (Rede), entre outros.

Na primeira edição, a revista online destacou o drama da crise humanitária que fez milhares de pessoas saírem da Venezuela para o Brasil e outros países, no maior êxodo da história da América Latina. A edição de outubro publicou, ainda, dez análises críticas e uma charge sobre política é uma entrevista com Monica de Bolle, primeira mulher latino-americana a integrar a equipe do Peterson Institute for International Economics. Ela destacou que a agenda fiscal terá de ser prioridade do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

Acesse aqui a edição de lançamento da revista Política Democrática online

A entrevista com o sociólogo Sérgio Abranches foi destaque da edição de novembro. Nela, ele mostra os reflexos da eleição de Bolsonaro, a qual, segundo o especialista, encerra a histórica polarização político-partidária entre PT e PSDB. Além disso, a revista publicou outros dez artigos críticos e uma charge sobre política. A edição destacou, ainda, uma grande reportagem que revelou como pessoas em situação de rua movimentam uma economia marginal em Brasília e os cortes de verbas da área de assistência social no Distrito Federal.

Na avaliação do diretor da revista, André Amado, a quantidade de acessos reflete o compromisso de todos os profissionais envolvidos na produção e edição da publicação online. “Me agrada muito, mas não me surpreende que a revista tenha alcançado mais de 190 mil acessos em sua segunda versão”, disse. “Uma das preocupações de todos os envolvidos é seguir a trilha das discussões e do debate de ideias, no horizonte da defesa e projeção dos princípios democráticos”, enfatizou.

André Amado destacou a independência e linha editorial crítica da revista. Segundo o diretor, seus profissionais desempenham suas funções com independência e profissionalismo. “A revista acertou na sua orientação de buscar o debate, a troca de ideias e a provocação intelectual”, ressalta. “Os próximos números serão tão bem sucedido quanto (os anteriores)”, acentuou, para emendar: “A revista Política Democrática ocupará, certamente, um espaço importante no ambiente político-intelectual brasileiro comprometido com a democracia”.

Além de contar com uma extensa lista de colaboradores, a revista tem um conselho editorial formado por renomados intelectuais e analistas políticos brasileiros. São eles: Alberto Aggio, Caetano Araújo, Francisco Almeida, Luiz Sérgio Henriques e Maria Alice Resende de Carvalho. A revista é mantida com recursos do fundo partidário destinados à fundação pelo Partido Popular Socialista (PPS). A versão impressa da revista, quadrimestral, tem circulação de 1 mil exemplares e completou 16 anos.

Deixe uma resposta