PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Aids: PPS Diversidade reafirma luta contra contra preconceito e desinformação sobre o vírus HIV

Reprodução

O Brasil responde por mais de 40% das novas infecções na América Latina

O “Dia Mundial de Luta Contra a Aids” celebrado neste sábado (1º) marca os 30 anos da luta contra o HIV. O objetivo da data é lembrar as pessoas de se prevenirem contra o vírus e da importância do diagnóstico precoce. Apesar das campanhas contra o HIV, o Brasil responde por mais de 40% das novas infecções na América Latina.

Em nota pública sobre o dia (veja abaixo), o PPS Diversidade manifesta a preocupação do movimento com a postura do novo governo quanto ao combate e o preconceito em relação à doença explicitado em declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e do futuro ministro da Saúde, deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS).

“No meio de todo esse preconceito e desinformação, a luta contra o estigma e por políticas públicas torna-se cada vez mais importante”, diz o documento.

O PPS Diversidade reafirma ainda compromisso com “todas as lutas por qualidade de vida dos HIV positivos e para que novas campanhas de prevenção sejam feitas e levadas ao seu público alvo”.

Contra o preconceito e a desinformação no combate à Aids

Em uma entrevista antiga, o presidente eleito Jair Bolsonaro fala que o Estado não deve custear os medicamentos antirretrovirais para os portadores de HIV e afirma textualmente: “Não é problema meu”.

Ao falar sobre o uso da camisinha, Bolsonaro defendeu que não se deve usar dinheiro do Estado para tratar de quem contrai doenças em atos sexuais, classificando a população gay como grupo de risco.

O novo ministro da Saúde, deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), acredita que o sucesso dos retrovirais é um estímulo à promiscuidade.

No meio de todo esse preconceito e desinformação, a luta contra o estigma e por políticas públicas torna-se cada vez mais importante.

Diferente do que fala o futuro ministro, vivemos um drama no Brasil.

O País responde por mais de 40% das novas infecções por Aids na América Latina.

Num projeto educacional em que sexualidade passa longe, com aumento da força da Bancada Evangélica, nesses 30 anos de luta contra AIDS é hora de nos prepararmos.

O PPS Diversidade quer enfrentar a questão de frente por meio de sua militância e bancadas na Câmara dos Deputados e Senado, travando todas as lutas por qualidade de vida dos HIV+ e para que novas campanhas de prevenção sejam feitas e levadas ao seu público alvo.

Eliseu Neto
Coordenador Nacional do PPS Diversidade”

Deixe uma resposta