PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

3,2 milhões de pessoas buscam emprego há mais de dois anos, diz IBGE

Reprodução

Um em cada quatro desempregados brasileiros procura emprego há mais de dois anos

Dados divulgados nesta quarta-feira (14) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que um em cada quatro desempregados brasileiros procura emprego há mais de dois anos.

Segundo o resultado de Pnad Contínua Trimestral (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), dentre os 12,5 milhões de desempregados no Brasil no terceiro trimestre de 2018, 3,197 milhões estavam nesta condição há dois anos ou mais. Este número bateu novo recorde histórico e corresponde a 25,6% do total de desempregados do País e um acréscimo de 350 mil pessoas em 1 ano. No segundo trimestre, eram 3,162 milhões, ou 24% do total.

Os números do IBGE mostram que também aumentou o número de brasileiros que procuram emprego há menos de um mês, ao passo que caiu o daqueles que buscam uma vaga há mais de 1 mês e há menos de 2 anos.

No Brasil, a taxa de desemprego no Brasil caiu para 11,9% no trimestre encerrado em setembro, atingindo 12,5 milhões de brasileiros.

O número de pessoas desalentadas (que desistiram de procurar emprego) ficou estável em relação ao trimestre anterior, atingindo 4,78 milhões de pessoas. Os estados com o maior número de desalentados são Bahia (794 mil pessoas) e Maranhão (523 mil).

No terceiro trimestre de 2018, o rendimento médio dos trabalhadores foi estimado em R$ 2.222, o que segundo o IBGE representa uma estabilidade tanto em relação ao trimestre imediatamente anterior (R$ 2.229) como em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (R$ 2.208).

Desemprego é maior entre nordestinos, mulheres e negros

Embora o desemprego tenha caído no terceiro trimestre, a taxa chega a 14,4% na Região Nordeste, a 13,8% para a população parda e a 14,6% para a preta – grupos raciais definidos na pesquisa conforme a declaração dos entrevistados. Quando analisado o gênero, as mulheres, com 13,6%, têm uma taxa de desemprego maior que a dos homens, de 10,5%. É considerada desempregada a pessoa com mais de 14 anos que procurou emprego e não encontrou.

Quatro estados do Nordeste estão entre os cinco com maior desemprego: Sergipe (17,5%), Alagoas (17,1%), Pernambuco (16,7%) e Bahia (16,2%). Apesar disso, a maior desocupação verificada no terceiro trimestre de 2018 foi no Amapá, onde o percentual chegou a 18,3%.

A Região Sul tem a menor taxa de desocupação do país, com 7,9%, e Santa Catarina é o estado com o menor percentual, de 6,2%. No trimestre anterior, a Região Sul tinha taxa de desocupação de 8,2% e o Nordeste, 14,8%.

Do contingente de 12,5 milhões de pessoas que procuraram emprego e não encontraram, 52,2% eram pardos, 34,7% eram brancos e 12% eram pretos. Tais percentuais diferem da participação de cada um desses grupos na força de trabalho total: pardos (47,9%), brancos (42,5%) e pretos (8,4%). (Com informações do IBGE e agências de notícias)

Deixe uma resposta