PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Na rádio Eldorado, Roberto Freire diz que fusão com PPS só depende da Rede

Alex Silva/ Estadão

Segundo o presidente do PPS, as conversas com o partido de Marina caminham bem

Em entrevista à rádio Eldorado (ouça aqui e veja matéria abaixo) nesta terça-feira (13), o presidente do PPS, Roberto Freire, falou sobre os avanços nas negociações para a fusão ou incorporação do partido com a Rede Sustentabilidade, de Marina Silva. De acordo com ele, a Rede discutirá e tomará uma decisão final em janeiro. Ele foi entrevistado pelos jornalistas Haisem Abaki e Carolina Ercolin.

Fusão com PPS só depende da decisão da Rede, diz Roberto Freire

Presidente do PPS diz que partido de Marina Silva discutirá e tomará uma decisão final em Congresso Nacional em janeiro

Matheus Lara – O Estado de S.Paulo

O presidente do PPS, Roberto Freire, falou nesta terça-feira, 13, sobre os avanços nas negociações para a fusão de seu partido com a Rede Sustentabilidade, de Marina Silva. De acordo com o deputado federal, a Rede discutirá e tomará uma decisão final em Congresso Nacional em janeiro.

“Há uma tendência para este processo de incorporação do partido (Rede) nesta nova formação. O que impede ainda é que a decisão que a Rede vai tomar acontecerá no Congresso Nacional, em janeiro”, disse o deputado em entrevista à Rádio Eldorado. “(As conversas) caminham bem. A Rede se reuniu neste fim de semana e foi positiva a discussão de que talvez seja necessária a incorporação, a fusão. Este movimento tem sido pensado já há algum tempo. Vamos ver se em janeiro conseguimos construir esta nova formação.”

A ideia é que as siglas se unam ainda que informalmente, como mostrou o Estado no mês passado, já que a minirreforma eleitoral de 2015 passou a impedir a fusão ou incorporação de partidos com menos de cinco anos – caso da Rede, criada em 2015. O partido de Marina elegeu apenas uma deputada federal neste ano e por isso não terá acesso ao Fundo Partidário.

“Estamos tratando como uma fusão. É a opção qe eles discutem e pela qual temos muita satisfação”, afirmou Roberto Freire. “Antes da eleição, já houve certa integração (do PPS) com movimentos de renovação da política que foram bem sucedidos (Marcelo Calero, do movimento RenovaBR, foi eleito deputado federal pelo PPS-RJ). É a demonstração que vivemos um novo momento. Por isso, estamos trabalhando e nos integrando a eles.”

Freire disse que PPS e Rede precisarão “afinar” discursos, mas não vê diferenças programáticas que impeçam a união. “Não é que a Rede seja contra reformas. Algumas lideranças se posicionaram contra, outras a favor. Temos que discutir para afinar discursos. Mas não vamos nem devemos ser um partido que tenha pensamento único.”

O deputado disse que ainda não há uma definição acerca da posição do PPS (mesmo antes da possível fusão) sobre o governo Jair Bolsonaro, mas fala numa possível “oposição democrática”. “O que vai vencer é a democracia. A oposição sistemática, como fez o PT, não sei se é uma boa opção para o Brasil. O Brasil deu a resposta dizendo que não. A sociedade percebeu. No PPS, discutimos a possibilidade de uma posição independente ou de oposição democrática. Não sistemática. Mas ainda não está decidido.”

Mudança de nome. Freire disse que a nova configuração do PPS pode abandonar a palavra “partido” do nome. “Houve uma enquete com militantes e participantes dos movimentos que deu como primeira opção a palavra ‘movimento’. Movimento 23. Mas se a Rede vier, vamos reabrir a discussão. O nome tem que representar algo não tão assemelhado às estruturas partidárias que temos e que receberam uma rejeição grande nesta eleição.”

Deixe uma resposta