PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Roberto Freire: Indicação de Moro prejudica tentativa do PT deslegitimar a Lava Jato

Reprodução

Freire: Lula foi condenado em 2ª instância pelo TRF-4, com sede em Porto Alegre

O presidente do PPS, Roberto Freire, disse que a indicação do juiz federal Sérgio Moro para o ministério da Justiça do governo Jair Bolsonaro (PSL) prejudica ainda mais a tentativa do PT (Partido dos Trabalhadores) deslegitimar a operação anticorrupção que levou à prisão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP) pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

“Penso que a narrativa do PT contra Moro pode perder força e sentido quando outro Juiz Federal – substituto de Moro – decidir, com a mesma celeridade e mesma orientação dos julgamentos anteriores da Lava Jato, os novos processos”, disse Freire, ao blog do Estadão “BR18” (veja a abaixo).

“Que coisa mais esquisita. Será que os advogados de defesa do ex-presidente não sabem que Lula foi condenado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, cumpre pena de reclusão de 12 anos e um mês, por força de sentença do Tribunal Federal da 4ª Região com sede em Porto Alegre?”, questionou o presidente do PPS no Twitter (veja aqui), em comentário à decisão de advogados do PT pedirem absolvição de Lula por conflito de interesse de Sérgio Moro.

Copo meio cheio, copo meio vazio…

BR18

Enquanto a trupe petista reforça a narrativa de “imparcialidade” da Lava Jato após Sérgio Moro aceitar o cargo de ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro, outros vão na direção contrária. O presidente do PPS, Roberto Freire, por exemplo, vê que a indicação de Moro prejudica ainda mais a tentativa de deslegitimar a operação anticorrupção.

“Penso que a narrativa do PT contra Moro pode perder força e sentido quando outro Juiz Federal – substituto de Moro – decidir, com a mesma celeridade e mesma orientação dos julgamentos anteriores da Lava Jato, os novos processos”, disse. Até que um novo juiz seja escolhido em seleção do TRF-4, quem ficará com os processos da Lava Jato é a magistrada substituta na 13ª Vara Federal de Curitiba, Gabriela Hardt.

Roberto Freire (@freire_roberto) November 1, 2018

Para além da judiciosa conclusão da Vera Magalhães, penso que a narrativa do PT contra Moro pode perder força e sentido quando outro Juiz Federal – substituto de Moro – decidir, com a mesma celeridade e mesma orientação dos julgamentos anteriores da Lava Jato, os novos processos https://t.co/VORQipe05F

Deixe uma resposta