PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Brasil precisa avançar nas políticas públicas de educação inclusiva, diz Carmen

Robson Gonçalves

A escola europeia foi um dos focos do seminário que debateu os rumos da educação no país

A deputada federal Carmen Zanotto (PPS-SC) disse nesta terça-feira (12) que o Brasil tem que aproveitar as experiências de outros países para avançar nas políticas públicas de educação inclusiva. A fala da parlamentar aconteceu no I Seminário Internacional Educação ao Longo da Vida, realizado pelas Comissões de Educação e de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados.

A experiência europeia foi um dos focos dos debates, que contaram com a participação de especialistas de vários países, inclusive de Portugal. O evento abordou pontos de interseção entre educação de jovens e adultos e educação especial na perspectiva da ‘Educação ao Longo da Vida’”.

“Este seminário com mostrou o quanto nós precisamos avançar para que o Brasil tenha efetivamente uma educação inclusiva. É preciso a união de todos, governo e da sociedade organizada, para vencermos essa grande barreira”, disse Zanotto, que foi uma das coordenadoras da mesa de debates.

O seminário abordou pontos de interseção entre educação de jovens e adultos e educação especial na perspectiva da ‘Educação ao Longo da Vida’”.

Alfabetização

De acordo com Zanotto, no País existem de 12,5 milhões brasileiros, com idade acima de 15 anos, que precisam ser alfabetizados. “Os dados são alarmantes. Temos mais do que a população da Bolívia de analfabetos. São pessoas que não têm condições sequer de ler e interpretar o que está escrito em um bilhete”, afirmou.

Na avaliação da parlamentar, o grande desafio é saber qual a escola que se adapta à realidade do país. “Mas até lá, é preciso que sejam colocadas em prática políticas públicas que estimulem a inclusão de adultos e de pessoas com deficiência no processo de aprendizagem”, finalizou Carmen Zanotto.

O evento será realizado em parceria com o Ministério da Educação (MEC), a Frente Parlamentar Mista da Educação e a Delegação da União Europeia no Brasil.

Deixe uma resposta