CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

FAP vai promover lançamentos com sessões de autógrafos na 33ª Feira do Livro de Brasília

A FAP (Fundação Astrojildo Pereira) estará presente na 33ª Feira do Livro de Brasília, o maior evento literário do Centro-Oeste brasileiro, de 16 e 25 de junho no shopping Pátio Brasil. No estande da fundação na feira serão distribuídos livros de publicação própria, além da venda de obras de autores parceiros, sessões de autógrafos e lançamentos.

Com mais de 100 expositores entre livrarias, editoras, distribuidoras e revistas, a temática do evento nesta edição é a “Inclusão e Cidadania”, com a mistura de todas as culturas em um único espaço e a presença de convidados diversos, como artistas, músicos, escritores, poetas, dentre outras personalidades de várias partes do Brasil e até do mundo.

O poeta Antônio Cicero, o antropólogo baiano Antônio Risério e o premiado escritor Cristovão Tezza estão entre os principais convidados. O evento também vai homenagear o cantor Belchior e o poeta Ferreira Gullar.

Veja abaixo programação da sessão de autógrafos de lançamentos da FAP na feira.

Dia: 17 de junho
Horário: 15h
O Corpo”, do diplomata brasileiro aposentado André Amado;
O livro é uma trama policial, que se passa em Brasília, temperada com pitadas de espionagem e de informação histórica e técnica sobre o mundo do crime e da intriga política.

Dia: 19 de junho
Horário: 19h
Poeira e Escuridão”, do cineasta e ministro interino da Cultura João Batista de Andrade;
O livro reproduz a desolada paisagem que existe em torno e dentro do homem. Em linguagem “cinematográfica”, o dia a dia da cidade grande é estampado nos olhos-lentes e na caneta do cineasta João Batista de Andrade.

Dia: 20 de junho
Horário: 19h
Um Lugar no Mundo – Estudos de história política latino-americana”, do historiador e dirigente da FAP Alberto Aggio;
O livro, como diz Paulo Fábio Dantas Neto, doutor em Ciência Política pelo Iuperj, é uma obra que busca dar perspectiva cosmopolita ao que é suposto como um lugar político pródigo em particularidades, entre as quais a de ser um lugar compartilhado por diversos lugares nacionais. A ideia da América Latina, enquanto substantivo coletivo, singular e plural, não é posta em discussão, mas tomada como premissa. (Com informações da Assessoria da FAP)

Deixe uma resposta