PARTIDO POPULAR SOCIALISTA

PORTAL NACIONAL

Com operação Leviatã, Jordy intensifica movimento para criar CPI de Belo Monte

Robson Gonçalves

"Um indício se converte em investigação numa das maiores obras do Brasil"

O líder do PPS na Câmara, deputado Arnaldo Jordy (PA), intensificou a articulação para tentar conseguir as 171 assinaturas necessárias para criar a CPI de Belo Monte. O movimento ocorre após a Polícia Federal deflagrar, nesta quinta-feira (16), a operação Leviatã. Foram cumpridos mandados de prisão em Belém, Brasília e Rio de Janeiro.

A operação é consequência de um inquérito que apura pagamento de propina de 1% do valor das obras de Belo Monte, no Pará, a dois partidos políticos. O dinheiro teria sido pago por parte das empresas do consórcio construtor.

“É imperioso que esta Casa crie uma comissão parlamentar de inquérito para aprofundar uma investigação que envolve o suposto pagamento de cerca de 150 milhões de reais. O que era um indício se converte em uma investigação ampla e que envolve esquema de corrupção para fazer uma das maiores obras do Brasil”, justificou Jordy.

O líder do PPS já conta com dezenas de assinaturas e esperar concluir o processo nos próximos dias para cobrar da Câmara a instalação da comissão parlamentar de inquérito.

Desde o anúncio da construção de Belo Monte, feito no governo passado, Arnaldo Jordy tem promovido audiências públicas para cobrar do consórcio responsável pela obra o cumprimento das condicionantes acordadas com o Ministério Público Federal.

No ano passado, o parlamentar do PPS solicitou formalmente ao Ibama que determinasse a suspensão das atividades da usina hidrelétrica, que foi erguida no Rio Xingu, por descumprimento destas exigências.

Histórico

A iniciativa de Arnaldo Jordy , em buscar assinaturas para propor a criação da CPI de Belo Monte, surgiu logo após a construtora Andrade Gutierrez ter assinado, em novembro do ano passado, acordo de leniência com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), onde executivos e ex-executivos da empreiteira admitem a formação de um complô para participar do empreendimento.

Deixe uma resposta