CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

No Jornal Nacional, Jungmann fala sobre estratégia de segurança para Olimpíadas

Segurança para a Olimpíada do Rio vai contar com mais de 21 mil homens

Exército vai estar em vias expressas, aeroportos e estações ferroviárias Forças Armadas não vão ocupar morros nem pontos turísticos.

Os ministros da Defesa e da Justiça apresentaram nesta quarta-feira (6), no Rio, o plano de segurança da Olimpíada.

Veja a reportagem no site do jornal

O esquema especial das Forças Armadas para a Olimpíada começa a partir do dia 24. Serão mais de 21 mil homens, três mil a mais do que o previsto. O Ministério da Defesa atendeu a um pedido do governo do estado.

“Vamos fazer policiamento ostensivo não substituindo as polícias, mas em conjunto com as polícias, aliviando eles mais um pouco para as missões do dia a dia que a cidade impõe”, disse o general Fernando Azevedo e Silva, comandante Militar do Leste.

O Exército vai estar em vias expressas, no entorno dos aeroportos, em sete estações ferroviárias e, junto com a Marinha, em ruas e avenidas por onde os atletas vão circular.

No esquema de patrulhamento das Forças Armadas não haverá ocupação de morros nem patrulhamento nos pontos turísticos.

Lugares como o Cristo Redentor, por exemplo, vão ficar sob a responsabilidade das polícias do Rio. O espaço aéreo vai estar restrito.

“Se qualquer aeronave não reconhecida entrar nesse espaço sem ser identificada e sem autorização, a Aeronáutica está autorizada para tiro de destruição. Não estamos aqui para brincadeira”, disse o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

Por causa de atentados terroristas em várias cidades do mundo, o governo brasileiro criou um centro internacional de inteligência com representantes de 97 países. Eles fazem um trabalho conjunto para identificar possíveis ameaças.

“Não foi identificada nenhuma possibilidade, nenhum foco em relação a infiltrações de terroristas no Brasil”, garantiu o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

As Forças Armadas podem ficar no Rio além do previsto. Nesta quarta-feira (6), a Justiça Eleitoral do estado e a Procuradoria Regional Eleitoral informaram que negociam a permanência dos militares durante as eleições municipais. O assunto já está sendo analisado pelo Ministério da Defesa.

“A nossa participação, em todas as eleições, sempre se dá sem a menor sombra de dúvida. Aqui e em outros lugares. Vamos analisar o pedido e atender o que se pode atender, evidentemente, a partir de uma determinação do presidente da República”, disse Jungmann.

Deixe uma resposta