CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Geraldo Thadeu vai comandar Frente das Hepatites e dos Transplantes

Comandar a Frente Parlamentar das Hepatites e dos Transplantes na Câmara. Esta será a principal tarefa do deputado federal Geraldo Thadeu (PPS-MG) no próximo ano. O grupo de parlamentares tem o objetivo de alertar a população e reivindicar, junto às autoridades governamentais, programas especiais para atender às pessoas infectadas. “Queremos chamar a atenção para a gravidade dessa doença, que mata mais do que a Aids. Atualmente, existem mais de 6 milhões de infectados no País. O pior é que muita gente não sabe que está contaminada. Daí a necessidade de que sejam colocados à disposição da população testes para diagnosticar a doença”, defende Thadeu. Durante a entrevista ao Portal do PPS, o deputado contou, emocionado, que foi portador do vírus da hepatite C por mais de 27 anos. “Podem ter certeza de que vou dedicar muito esforço nessa luta”, garante. Segue abaixo a entrevista.

Portal do PPS РQual ̩ o principal objetivo da Frente Parlamentar das Hepatites e dos Transplantes?
Geraldo Thadeu
– É alertar para a gravidade da doença, que tem sido o maior problema de saúde pública do País. Mata mais do que a Aids. É um mal que, aos poucos, vai atacando o fígado, fazendo com que o doente, quando não recebe tratamento, chegue a um estado cirrose hepática ou de câncer. Diante da falência do órgão (fígado), é preciso transplante. Daí a necessidade de mobilização dos parlamentares. Na realidade, é um problema seríssimo, que ataca milhões de brasileiros, e que nós temos que olhar com muita atenção. Hoje, com a evolução da medicina e os novos medicamentos, a hepatite C tem cura. Mas alertamos que, na maioria dos casos, a doença é silenciosa. As pessoas não sabem que estão com o vírus porque não há efeitos colaterais. Daí a necessidade da realização de campanhas governamentais para alertar a população.

Como vai ser a atuação da Frente junto ao governo?
Thadeu
– Existe, no Ministério da Saúde, um programa direcionado aos portadores de hepatite crônica, mas a população quase não tem acesso ao tratamento. O objetivo da Frente Parlamentar é, primeiro, fazer com as autoridades da área de saúde façam um levantamento nacional do diagnóstico da doença, ou seja, saber quem está atingido pelo vírus; segundo, lutar para que os doentes tenham acesso à assistência médica gratuita porque, assim, terão a oportunidade de viver mais.

Os remédios são muito caros?
Thadeu
– Sim. Essa é outra reivindicação nossa. A nossa luta é para que os medicamentos sejam fornecidos pelo SUS. Como são caríssimos, poucas pessoas podem adquiri-los. Queremos também a democratização do exame de diagnóstico nos postos de saúde, nos moldes em que hoje é feito com o diabetes e outras doenças.

Deputado, quantas pessoas estão afetadas pela doença no País atualmente?
Thadeu
– Seis milhões de brasileiros são atingidos, atualmente, pelo vírus das hepatites C e B. É importante salientar que hoje se abre uma esperança de maior expectativa de vida com o avanço da farmacologia. Os medicamentos são eficazes na destruição do vírus. Mas sabemos que o problema são os transplantes. Hoje, esse processo tem sido muito complicado, devido às denúncias de beneficiamento nas filas de espera e à falta de campanhas de incentivo à doação, além da suspeita de tráfico de órgãos. Nós queremos é contribuir para que possa ser elaborado um processo, com transparência e segurança, para aumentar o número de doadores e com isso salvar muitas vidas.

O senhor mesmo foi infectado com o vírus da hepatite C?
Thadeu
– Eu falo desse problema sem constrangimento porque fui portador do vírus da Hepatite C durante 27 anos. A doença traz uma insegurança de vida muito grande porque maltrata a pessoa. Durante esses anos todos, eu tenho trabalhado muito para chamar a atenção desta Casa, da população e das autoridades da área de saúde para a gravidade desta doença terrível, que tem ceifado tantas vidas. Podem ter certeza que na Frente Parlamentar eu vou dedicar muito esforço nessa luta para que mil

Nenhum conteúdo relacionado

Deixe uma resposta